Histórico
 25/06/2006 a 01/07/2006
 16/04/2006 a 22/04/2006
 09/04/2006 a 15/04/2006
 02/04/2006 a 08/04/2006
 26/03/2006 a 01/04/2006
 19/03/2006 a 25/03/2006
 12/03/2006 a 18/03/2006
 05/03/2006 a 11/03/2006
 26/02/2006 a 04/03/2006
 19/02/2006 a 25/02/2006
 12/02/2006 a 18/02/2006
 05/02/2006 a 11/02/2006
 29/01/2006 a 04/02/2006
 22/01/2006 a 28/01/2006
 15/01/2006 a 21/01/2006
 08/01/2006 a 14/01/2006
 01/01/2006 a 07/01/2006
 25/12/2005 a 31/12/2005
 18/12/2005 a 24/12/2005
 11/12/2005 a 17/12/2005
 04/12/2005 a 10/12/2005
 27/11/2005 a 03/12/2005
 20/11/2005 a 26/11/2005
 13/11/2005 a 19/11/2005
 06/11/2005 a 12/11/2005
 30/10/2005 a 05/11/2005
 23/10/2005 a 29/10/2005
 16/10/2005 a 22/10/2005
 09/10/2005 a 15/10/2005
 02/10/2005 a 08/10/2005
 25/09/2005 a 01/10/2005
 18/09/2005 a 24/09/2005
 11/09/2005 a 17/09/2005
 04/09/2005 a 10/09/2005
 28/08/2005 a 03/09/2005
 21/08/2005 a 27/08/2005
 14/08/2005 a 20/08/2005
 07/08/2005 a 13/08/2005
 17/07/2005 a 23/07/2005
 10/07/2005 a 16/07/2005
 03/07/2005 a 09/07/2005
 26/06/2005 a 02/07/2005
 12/06/2005 a 18/06/2005
 05/06/2005 a 11/06/2005
 29/05/2005 a 04/06/2005
 22/05/2005 a 28/05/2005
 15/05/2005 a 21/05/2005
 08/05/2005 a 14/05/2005
 01/05/2005 a 07/05/2005
 24/04/2005 a 30/04/2005
 17/04/2005 a 23/04/2005
 10/04/2005 a 16/04/2005
 03/04/2005 a 09/04/2005
 27/03/2005 a 02/04/2005
 20/03/2005 a 26/03/2005
 13/03/2005 a 19/03/2005
 06/03/2005 a 12/03/2005
 27/02/2005 a 05/03/2005
 20/02/2005 a 26/02/2005
 13/02/2005 a 19/02/2005
 06/02/2005 a 12/02/2005


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 Ademir Assunção
 Claudio Daniel
 Carolina Libério
 Jane Maciel
 Joca Reiners Terron
 Ricardo Aleixo
 Revista Zunái
 Revista Etcetera
 Joacy Jamys
 Instituto Itaú Cultural
 Peanuts
 Rodrigo Pereira
 Rodrigo Pereira II
 Pataugaza
 Tássia Arouche
 Zema Ribeiro
 Bruno Barata
 Bruna Barbieri
 Xico Sá
 Makely Ka
 Bruno Brum
 Manu Maia
 Gisele Nunes Brasil (Lucy)
 André Lucap
 Coletiva Turba
 João Paulo Cuenca
 Marcelo Sahea
 Malvados
 Joan Brossa
 Mario Bortolotto
 Heriberto Yépez
 Daniel Galera
 Daniel Pellizzari
 Marcelino Freire
 Paulo Stocker
 poets.org
 POP BOX
 P. Leminski
 Augusto Paim
 Nona Arte
 Elisa Andrade Buzzo
 Roberto Kenard
 Daniela Lima
 Marcos Ramon
 Ronald Robson
 Edward Lear
 Dyl Pires
 Lacuna Inc.
 Carol Mello
 William S. Burroughs
 Gabriel Sunda
 Normal Project
 Jana Campos Lobo


 
 
o trompetista gago: :reuben


O castor, na cozinha, preparando o chá, roupão xadrez e monóculo.

 

(dos três o castor prepara o chá, apenas)

 

Fios de selênio içam como vapor do chá aquecido, pronto para servir.

 

O castor inala o metal até que seque a xícara e se lhe enrubesçam os olhos.

 

Um século antes, o inglês Willoughby Smith foi mais longe, descobrindo que o selênio podia transformar energia luminosa em energia elétrica, o que viria a possibilitar a transmissão de imagens através da eletricidade.



Escrito por quem gritou foi o reuben às 11h54
[ ] [ envie esta mensagem ]



Ever tried. Ever failed. No matter. Try again. Fail again. Fail better. (Samuel Beckett)

Uma porrada. Ou não?

Agora, deixando pra lá o meu elitismo (Citação? E em inglês?! Metido! Só pra dizer que leu!), dêem uma sacada neste endereço: http://nicotina.nafoto.net/

Não sei de quem é, nem de onde vem. Mas tem umas fotos legais. E, bizarria suprema, uma do Keith Richards em 1789, novo e, claro, irreconhecível. É assustador.

Fumar é bem romãntico nas fotografias. A gente até esquece que é o tipo de coisa que se tornou tão reacionária e careta quanto, sei lá, o carnaval.

Pronto. Citei alguém, falei mal de uma legítima manifestação popular e indiquei alguma coisa.

Só faltava ter elogiado algum amigo.



Escrito por quem gritou foi o reuben às 11h38
[ ] [ envie esta mensagem ]



a mulher borrada

A pequena multidão aguarda, o sinal abre. A chuva avança com os pedestres através da avenida.

 

A mulher nua caminha com os demais. Os homens têm pressa. A mulher é lenta e acabará sozinha sobre a faixa de pedestres.

 

A chuva borra a sua pele.

 

Os tons trocados. O cinza da carne. O vermelho-unha, o azul dos pêlos e dos olhos.

 

A água penetra a pele amolecida até o branco dos ossos e o verde da alma.

 

O sinal abre para os automóveis. A mancha resistirá até o terceiro carro.



Escrito por quem gritou foi o reuben às 21h17
[ ] [ envie esta mensagem ]



O trompetista arremessa dardos contra os pés, com a língua.

 

Os dardos ele os fabrica com pedaços da própria língua, que arranca e molda com os dentes. O que não causa espanto, já que sem encorpados caninos seria impossível forjar bibelôs tão afiados.

 

Há dias em que se dedica, não com a mesma obstinação, a atirá-los (os dardos, sempre os dardos) nos passantes, sobretudo nas senhoras de chapéu e nos cavalheiros de bigode.

 

Para as raparigas e mocinhas de diversa sorte guarda o que da língua não é dardo e o que é obstinação.

 

A prática já lhe permite jacular simultaneamente três ou quatro dardos. Não há outra razão para que lhe chamem trompetista.



Escrito por quem gritou foi o reuben às 12h31
[ ] [ envie esta mensagem ]




[ ver mensagens anteriores ]